terça-feira, 12 de janeiro de 2021

TESE SOBRE ENSINO SUPERIOR ENXUTO E FLEXÍVEL PARA O PRECARIADO É SUBMETIDA A EXAME DE QUALIFICAÇÃO

Igor Andrade da Costa

 

EXAME DE QUALIFICAÇÃO DE DOUTORADO


Título: "Cursos Superiores de Tecnologia como Materialidade do Ensino Superior Enxuto e Flexível para o Precariado no Brasil”



Doutorando: Igor Andrade da Costa  


Instituição: Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

                    Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação

                    Programa de Pós-Graduação em Educação, Contextos Contemporâneos e Demandas Populares

                    Linha de Pesquisa: "Desigualdades Sociais e Políticas Educacionais"




Data: 02/02/2021

Hora: 14:00

Local: por webconferência. Link de acesso à transmissão em vídeo: https://video.rnp.br/portal/transmission?idItem=100906 


Banca Examinadora:

  • Prof. Dr. José dos Santos Souza (Orientador) – UFRRJ
  • Prof. Dr. Hugo Leonardo Fonseca da Silva  (UFG)
  • Profª. Drª. Zuleide Silveira (UFF)



Resumo: Curso Superior de Tecnologia (CST) é um grau acadêmico de Ensino Superior com duração de 1600 a 2400 horas. Regulamentada pela LDB 9.394/1996 e pelo Decreto Federal nº 5.154/2004.De acordo com o discurso governamental, a tônica dos CST é viabilizar a formação de profissionais em condições de laborabilidade, polivalentes e capazes de apresentar soluções à problemas cotidianos da produção. A materialidade dos CST revela que 83,62% dos estudantes dos CST ou 8 em cada 10 se encontram nas Instituições de Ensino Superior (IES) privadas e que 68% desta oferta é de cursos ligados à ideologia do empreendedorismo, empregabilidade e sustentabilidade. Deste modo, um olhar mais atento aponta que tais cursos podem ser mais um meio de conformação do que de formação e qualificação da força de trabalho para as condições da atuais de produção, marcadas por forte introdução da microeletrônica, informática e robótica. O objeto de nosso projeto de pesquisa é a oferta de CST mais procurados, nas IES privadas líderes de mercado. O objetivo é explicar as implicações do fato de os CST terem se tornado mercadoria acessível para determinados segmentos da classe trabalhadora mobilizada pela ideologia do empreendedorismo, da empregabilidade e da sustentabilidade. Trata-se de pesquisa básica de análise qualitativa e caráter explicativo, pautada no materialismo histórico e dialético. Como instrumento de coleta de dados utilizamos pesquisa bibliográfica e análise documental. Nossa hipótese é que este modelo de ensino materializa a universidade enxuta e flexível do precariado, ou seja, um projeto político-pedagógico que tem uma dupla finalidade: a de formar trabalhadores de novo tipo para atender a demanda empresarial por profissionais com qualificações intermediárias que transitam entre o trabalho simples e o trabalho complexo e a de conformar trabalhadores excluídos da promessa integradora do capital e fadados ao desemprego e a precariedade do trabalho e da vida social. Esperamos ter como resultado desta pesquisa um referencial analítico capaz de interpretar a concretude da Educação Superior tecnológica e explicitar o tratamento dos cursos mais procurados pelas IES líderes de mercado. Pretendemos desvelar em que medida é realizado, nos cursos delimitados, a conformação para a vida precária de parcela de parcela significativa da classe trabalhadora, por meio da disseminação de ideologias como empregabilidade, empreendedorismo e sustentabilidade.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2020

RTPS PUBLICA NOVA EDIÇÃO

A RTPS - Rev. Trabalho, Política e Sociedade acaba de publicar o Nº 09 contendo o DOSSIÊ “TRABALHO E RESISTÊNCIA: organização e luta dos trabalhadores da educação em tempos de avanço da nova direita”, organizado pela Profª. Drª. Marcela Pronko, da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, da Fundação Oswaldo Cruz.

Clique aqui para acessar o número da Revista e navegue em seus artigos.


Boa Leitura!


quinta-feira, 26 de novembro de 2020

ESTUDANTE DE GRADUAÇÃO ANALISA IMPACTO DA PROVINHA BRASIL NO TRABALHO PEDAGÓGICO DE UMA ESCOLA MUNICIPAL DE D. DE CAXIAS

 

Viviana Gmach



DEFESA DE MONOGRAFIA



Título: "A cultura da avaliação externa na perspectiva docente: um estudo do caso da Escola Municipal Cidade dos Meninos, em Duque de Caxias (RJ)”

Arquivo de PDF


Graduanda: Viviana da Silva Gmach Souza


Instituição:  Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
                    Pró-Reitoria de Graduação
                    Instituto Multidisciplinar
                    Colegiado do Curso de Licenciatura em Pedagogia


Data: 09/12/2020
Hora: às 10h
Local: por webconferência. 


Banca Examinadora:
  • Prof. Dr. José dos Santos Souza – Orientador (UFRRJ)
  • Prof. Dr. Thiago de Jesus Esteves (CEFET-RJ)
  • Profª. Ms. Cinthia Cristiane da Silva Marujo (SEEduc/RJ e SEMEd/RJ)


RESUMO: 
este trabalho de pesquisa apresenta um estudo sobre as Avaliações Externas, tomando como ponto inicial os índices da Educação Básica considerados pela Prova Brasil, também conhecida como Avaliação Nacional do Rendimento Escolar (ANRESC) no município de Duque de Caxias, na região da Baixada Fluminense, no estado do Rio de Janeiro. Definimos como objeto de análise a Prova Brasil na ação pedagógica dos profissionais de educação, que se constitui em uma avaliação educacional obrigatória em larga escala aplicada no 5º e 9º ano da primeira etapa da Educação Básica. Tomando a Escola Municipal Cidade dos Meninos, a investigação delimita-se à visão dos docentes desta escola acerca da Avaliação em Larga Escala, suas concepções de relação deste tipo de avaliação e a realização de seu trabalho pedagógico, bem como suas indicações de como esta avaliação pode interferir no seu trabalho. O objetivo da monografia é identificar o impacto que este exame provoca na organização do trabalho dos docentes da Escola Municipal Cidade dos Meninos. Para isto, analisa-se os possíveis desdobramentos que afetam o planejamento escolar, busca-se identificar quais as estratégias utilizadas pelos docentes em sala de aula e compreender de que modo estes docentes acabam reforçando esse modelo de avaliação. Trata-se de uma pesquisa de natureza básica, com a abordagem qualitativa, de análise descritiva, que em virtude dos instrumentos de coleta de dados utilizados, pode ser classificada como uma pesquisa de tipo levantamento. Os resultados obtidos indicam que as docentes têm o seu campo de atuação modificado pelas avaliações externas, pois elas trabalham com sobrecarga de tarefas a serem desempenhadas, delineando, assim, uma nova lógica no seu ofício; indicam que seu desempenho está condicionado à possibilidade de premiação ou punição em vistas dos resultados obtidos, evidenciando o poder de coerção combinado com persuasão que os testes de rendimento impõe aos profissionais de educação. Assim, percebe-se que as políticas de avaliação educacional exigem dos docentes melhor desempenho de seus alunos em detrimento de qualquer medida para proporcionar-lhes melhores condição de trabalho. A ideia é induzir os docentes a fazer mais com menos.



TESE DE DOUTORADO SOBRE REAÇÃO DOCENTE À REFORMA DO ENSINO MÉDIO É SUBMETIDA A EXAME DE QUALIFICAÇÃO

 

Nelma B. Vieira

EXAME DE QUALIFICAÇÃO DE DOUTORADO


Título: "Reação dos docentes do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro à contrarreforma do Ensino Médio”



Instituição: Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
                    Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação
                    Programa de Pós-Graduação em Educação, Contextos Contemporâneos e Demandas Populares


Data: 21/12/2020
Hora: às 10h
Local: por webconferência. Para acessar, Clique aqui



Banca Examinadora:
  • Prof. Dr. José dos Santos Souza (Orientador) – UFRRJ
  • Profª. Drª. Jussara Marques de Macedo (UFRJ)
  • Profª. Drª. Zuleide Silveira (UFF)



RESUMO: O Ensino Médio tem sido alvo de transformações nas últimas décadas. A última foi em 2016, com a posse de Temer à presidência, primeiro pela Medida Provisória nº 746/2016 e depois com a Lei n. º 13.415/2017. As reformas gerenciais realizadas com à nova legislação e à Base Nacional Comum Curricular (BNCC) demonstram à intenção de uma formação pragmática com propósito de conformar os filhos da classe trabalhadora aos interesses do capital e adaptá-los à nova morfologia do mundo do trabalho. Essas mudanças devem-se à influência dos organismos transnacionais e dos empresários envolvidos nas organizações sociais. Esses grupos apresentam propostas de fragmentação do currículo da escola pública e do papel dos docentes nesse momento de crise orgânica do capital. Diante dessa realidade, elegemos como objeto de estudo a reação dos docentes do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ) frente às reformas gerenciais. A nossa proposta de investigação consiste em identificar a reação dos docentes do IFRJ à contrarreforma do Ensino Médio e à BNCC e analisar essa reação enquanto classe trabalhadora. Nossa análise tem como objetivo categorizar e explicar as formas de reação dos docentes às reformas gerenciais, partindo dos pressupostos das categorias de reação: resistência, consentimento ativo, consentimento passivo ou resiliência. A implementação da Lei nº 13.415/2017 e da BNCC causarão problemas políticos, pedagógicos e econômicos, pois poderá prejudicar o IFRJ nos aspectos que o diferencia das outras redes: a dedicação exclusiva dos docentes, plano de carreira dos docentes, trabalho pedagógico que envolve ensino-pesquisa-extensão e a proposta do currículo “integrado”. A reforma gerencial instalada nesse período surge de um contexto de crise orgânica do capital que desencadeia uma ofensiva da burguesia na reestruturação do processo produtivo e na reorganização do papel do Estado e do Ensino Médio na formação da classe trabalhadora. Para isso, propomos uma pesquisa básica, de análise qualitativa, de caráter explicativo, que se insere na categoria de uma pesquisa documental, com os seguintes instrumentos: a) revisão de literatura) levantamento e análise de fontes primárias e secundárias; c) questionário e d) entrevistas. Serão realizadas entrevistas com docentes representantes do Sindicato dos trabalhadores do Instituto Federal de Educação, coordenadores de curso, diretores de ensino e diretor geral da unidade. Aplicaremos questionário ao universo dos docentes. Recorre-se ao materialismo histórico dialético como o método da tese. A hipótese principal da tese é que os novos modelos gerenciais afetam os docentes na sua práxis e apesar disso a reação é diversa, contraditória e conflitante. Esta reação comporta resistências, consentimentos e indiferenças. Espera-se como resultado desse estudo uma avaliação dos limites e potencialidades das formas de reação docente à contrarreforma do Ensino Médio (resistência, consentimento ativo e consentimento passivo ou resiliência). 



segunda-feira, 9 de novembro de 2020

INVESTIGAÇÃO REVELA PAPEL DAS BIBLIOTECAS COMUNITÁRIAS DA BAIXADA FLUMINENSE NA DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO À LITERATURA

Bruna de Fátima Santos de Lima

 

DEFESA DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO


Título: "O papel das bibliotecas comunitárias na democratização do acesso à literatura na
            Baixada Fluminense (RJ)”





Graduanda: Bruna de Fátima Santos de Lima


Instituição: Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
                    Pró-Reitoria de Graduação
                    Instituto Multidisciplinar
                    Colegiado do Curso de Pedagogia


Data: 07/12/2020
Hora: às 10h
Local: por videoconferência, Clique no link para acessar: https://meet.google.com/txz-ezan-otw

Banca Examinadora:
  • Prof. Dr. José dos Santos Souza (Orientador) – UFRRJ
  • Prof. Ms. Igor Andrade da Costa (PPGEduc/UFRRJ)
  • Profª. Drª. Carmem Pimentel (UFRRJ)


Resumo: o estado do Rio de Janeiro tem o menor número de habitantes por biblioteca pública no Brasil: um para cada 111.000 habitantes. Quando confrontamos este dado com a quantidade de bibliotecas por habitante na Baixada Fluminense (RJ), o resultado é ainda mais assustador: 01 biblioteca para cada 229.912 habitantes. É neste cenário que surgem as bibliotecas comunitárias como expressão da luta pela democratização do acesso à literatura. Nosso objeto de análise é a atuação das redes de bibliotecas comunitárias que se movimentam para o fomento da leitura literária em um contexto territorial de grande vulnerabilidade social: a Baixada Fluminense. Nosso objetivo é compreender o papel político e social que as bibliotecas comunitárias da Baixada Fluminense desempenham na luta pela democratização do acesso a leitura literária. Trata-se de uma pesquisa básica, de análise qualitativa, de caráter explicativo, que se insere na categoria de pesquisas do tipo documental, uma vez que se utiliza de fontes bibliográficas primárias e secundárias para coleta de dados. O materialismo histórico e dialético é a referência teórica e metodológica da análise. Partindo do pressuposto de que a literatura é um direito humano, a análise se desenvolveu para além do trabalho realizado nas comunidades em que se inserem as bibliotecas investigadas. Assim, foram estabelecidos como sujeitos da pesquisa os agentes das políticas públicas para a democratização do acesso ao livro, literatura e leitura, verdadeiros protagonistas dos diálogos e dos processos de formulação e monitoramento dessas políticas que culminaram na articulação da Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias (RNBC), em 2015, que engloba um conjunto de redes locais de bibliotecas comunitárias espalhadas pelo país, como é o caso das redes Baixada Literária e Tecendo uma Rede de Leitura. Verificamos que as bibliotecas comunitárias localizadas na Baixada Fluminense refletem as demandas sociais, políticas e econômicas das comunidades locais em que se inserem. Portanto, sua precariedade reflete a precariedade da realidade em que vive o público que a frequenta e sua manutenção é expressão da luta por educação pública e gratuita para todas e todos. Percebemos que a luta pelo acesso à leitura encabeçada pelo movimento das bibliotecas comunitárias é uma luta indispensável para o ser social, apesar de, na lista de prioridades, frequentemente estar esquecida em meio a questões elementares da vida: a luta pela sobrevivência.

segunda-feira, 26 de outubro de 2020

REV. TRABALHO, POLÍTICA E SOCIEDADE FAZ CHAMADA PARA NOVO DOSSIÊ TEMÁTICO A SER PUBLICADO EM MAIO/2021

Chamada Pública para o Dossiê "Extrema Direita na Geopolítica Mundial e Implicações para Populações Negras de Diáspora"

A RTPS - Rev. Trabalho, Política e Sociedade torna pública a chamada de submissões para o Dossiê “Extrema Direita na Geopolítica Mundial e Implicações para Populações Negras de Diáspora”, organizado pela Profª. Drª. Fernanda Barros dos Santos, do Núcleo de Estudos de Políticas Públicas em Direitos Humanos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPDH/UFRJ). 

Submissões para este Dossiê podem ser feitas até o dia 25/01/2021, observadas as Diretrizes aos Autores.

Clique aqui para saber mais.


quarta-feira, 21 de outubro de 2020

ESTUDANTE DE PEDAGOGIA CONCLUI INVESTIGAÇÃO SOBRE A EVOLUÇÃO DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA NO BRASIL

 

Keila Alves P. Lyra

DEFESA DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO


Título: "Evolução da oferta de cursos superiores de tecnologia no Brasil”

Monografia em PDF


Graduanda: Keila Alves P. Lyra 


Instituição:   Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

   Pró-Reitoria de Graduação

   Instituto Multidisciplinar

   Colegiado do Curso de Licenciatura em Pedagogia - Nova Iguaçu, RJ


Data: 10/11/2020

Hora: às 18h

Local: por videoconferência, Clique no link para acessar: https://us04web.zoom.us/j/9911873568?pwd=bkdYc2J1YlJDOWRXVmw1SFJYcWhWdz09


Banca Examinadora:

Prof. Dr. José dos Santos Souza (Orientador) –  UFRRJ

Prof. Ms. Igor Andrade da Costa –  PPGEduc/UFRRJ

Profª. Ms. Paula de Macedo Santos –  PPGEduc/UFRRJ



Resumo: Os Cursos Superiores de Tecnologia (CST) foram criados com o objetivo de formar tecnólogos de acordo com a lógica empresarial, oferecendo formação enxuta e flexível à classe trabalhadora. Nesta monografia tratamos da evolução dos CST no Brasil, tomando como referência a divisão do trabalho educacional na Educação Superior do país. Nosso objetivo é compreender o sentido das tendências da evolução dos CST no Brasil nas últimas duas décadas. Com base em microdados do Censo da Educação Superior em documentos governamentais buscamos explicitar um panorama da oferta de CST no período de 1994 a 2018.  Trata-se de uma pesquisa básica, de análise qualitativa, de caráter explicativo, que se insere na categoria de pesquisas de tipo documental, que se utiliza de dados estatísticos do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (INEP) como fonte de dados. A análise nos levou a constatação de que os CST coadunam com a lógica mercantil na educação superior. Sua expansão se deu principalmente pela iniciativa privada, beneficiada pela diversificação institucional promovida a partir dos anos 2000, com ampliação do número de Faculdades e Centros Universitários. De acordo com uma agenda neoliberal, percebeu-se ampla expansão desses cursos após a retomada das políticas de incentivo à Educação Profissional e Tecnológica a partir do final dos anos de 1990, principalmente nos governos de Fernando Henrique Cardoso (FHC) e Lula da Silva. A partir dos decretos e leis referendados pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), a oferta de CST pela iniciativa privada tornou-se bastante viável e propícia. Na realidade, este fenômeno ratifica a velha dualidade do ensino básico no nível da educação superior, quando limita o acesso ao conhecimento científico e tecnológico ao estabelecer padrões distintos de formação superior de acordo com a origem de classe. Neste sentido, os CST corroboram a perspectiva de manutenção das condições de conservação e continuidade da acumulação burguesa no campo educacional. O principal efeito disto é a transferência da responsabilidade de investimento em qualificação profissional para os indivíduos tendo como referência as ideologias da empregabilidade, do empreendedorismo e da sustentabilidade.